Uma Carta De Adeus!



Bom, é difícil pra mim estar aqui escrevendo isso sabendo que será um adeus, gostaria de que você soubesse que te amei mais que tudo, desde quando você chegou aqui em casa, toda curiosa, e saltitante, saiu cheirando tudo e todos, e nos demonstrando seu imenso amor em poucos minutos de convivência, minha Sirilipa, que só de ouvir minha voz, pulava e balançava o rabo que parecia que ia cair (risos).
Lembra que a Mãe Simone dizia que era impossível te dar carinho por que você era muito elétrica? Mas eu sabia como acompanhar seu desespero por atenção e toda energia que eu não sei como era possível caber em alguém com pouco mais de 30 centímetros.
Meu Deus como você me irritava quando começava me lamber quando eu tava dormindo, mas ao mesmo tempo me acalmava quando se enfiava embaixo dos meus braços e dormia comigo, sempre te achei sem vergonha, por que não ligava se eu brigasse pra você não entrar em casa, você entrava assim mesmo! E me convencia de que era melhor assim!


Infelizmente toda essa sua alegria se foi, toda sua energia se transformou em silencio, ai meu Deus e que silencio horrível de ensurdecer, graças a uma doença degenerativa, você foi indo embora aos poucos, cuidei de você mais do que cuidaria de mim mesma, mesmo que me dissessem que você não voltaria, eu, Simone e as meninas tínhamos fé e esperança, mas se passou um ano, e você não merecia mais ficar ali, não daquele jeito, imóvel, estagnada, tetraplégica, só por que nós precisávamos de você, você precisava ir, descansar, pular e espalhar sua alegria e energia 1000 no céu dos cachorros.
Você me ensinou muito! Ensinou alegria sempre, independentemente da situação, ser feliz e espalhar amor, mesmo para quem não o mereça.
De todos, eu tive que decidir, decidir marcar o dia e a hora de você partir, acredite meu amorzinho, foi difícil, me doeu além da alma, caminhar com você no colo até lá, assinar aqueles papéis, olhar nos seus olhos de quem não sabia o que estava acontecendo, me questionando e permitindo mesmo em tal situação ver o amor em seus olhos, mas você precisava de paz, por mais doloroso que me fosse.

Acredite, eu te amo e sempre amarei, descanse em paz, América! 


Compartilhe:

6 comentários

  1. Nossa chorei, realmente é muito forte essa dor, perdi duas cadelinhas que amo muito, sempre quando eu sinto saudades tento não ficar triste, mas sim feliz pelos momentos que me foram permitidos passar com elas. Adorei seu texto, realmente me tocou.
    http://souadultaagora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, essas "coisinhas" só nos trazem alegrias, me doeu ter que decidir pela eutanásia, mas guardarei sempre comigo as alegrias de tê-la em minha vida!

      Obrigada, beijos.

      Excluir
  2. Nossa já passei por isso, imagino sua tristeza, eles se tornam parte da família =/
    Mas os momentos bons ficam pra sempre na memória!

    bomhumornaosaidemoda.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eles viram mais familia que a nossa própria familia, realmente nos deixam ótimas lembranças.

      Excluir
  3. Olá!
    Que momento difícil... sinto muito por isso, de verdade.
    A gente sabe que isso é inevitável, mas nunca está preparada, né?

    Beijão e fique bem.
    Leitora Cretina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie,
      Realmente, apesar de ser a unica certeza, nunca estamos preparadas.. :(
      Obrigada, beijos.

      Excluir